Um espaço de inspiração. De e para pessoas.
Ana Palencia (Unilever): “O nosso objetivo é criar uma consciência sustentável nos nossos funcionários, consumidores, clientes e sociedade para criar um futuro melhor para todos”

Ana Palencia (Unilever): “O nosso objetivo é criar uma consciência sustentável nos nossos funcionários, consumidores, clientes e sociedade para criar um futuro melhor para todos”

  • Abril 15, 2021

Ana Palencia é Diretora de Comunicação e Responsabilidade Social Empresarial da Unilever, considerada a melhor empresa de consumo para trabalhar em Espanha, segundo a revista Forbes, com base nas opiniões de mais de 8000 funcionários das maiores empresas de todos os setores em Espanha. A Unilever está presente em mais de 190 países (em 44 deles é considerada o empregador de eleição) e tem cerca de 400 marcas. Qual é o seu segredo para este sucesso? Ana fala-nos disso abaixo.

 

Se tivesse de realçar apenas uma das vantagens de trabalhar na Unilever, qual seria?

Que é uma empresa orientada pelo propósito, através do qual promove um estilo de vida sustentável na vida quotidiana de todos (empregados, clientes e sociedade), através dos seus valores: respeito, responsabilidade, integridade e espírito pioneiro.

O que é que mais atrai novos candidatos?

O compromisso da empresa em trabalhar para criar um futuro melhor para cada dia, bem como a sua clara agenda de sustentabilidade, com objetivos e compromissos em matéria de saúde e bem-estar, ambiente e qualidade de vida. Tudo integrado na agenda empresarial para fazer o bem, fazendo bem.

Já passaram quase 2 meses desde que começaram a implementar o dia útil de 4 dias na Nova Zelândia. Que resultados estão a obter?

É verdade, é um pequeno piloto num país com apenas 80 pessoas a trabalhar na sede onde está a ser realizado, e cujo resultado só será conhecido em dezembro de 2021 e com base nisso podem ser tomadas decisões que podem ou não ser replicáveis em outros países do mundo.

Seria eficaz aplicar esta medida no nosso país?

Defendemos uma cultura a que chamamos “trabalho ágil”, que se baseia na auto-organização e gestão pessoal para que cada empregado possa alcançar os seus objetivos trabalhando no local que melhor facilita o seu bem-estar, seja no escritório ou no teletrabalho em casa. Neste momento, tendo em conta a cultura do nosso país, creio que estamos longe de considerar tal medida em Espanha.

Quais são os seus principais desafios em matéria de Responsabilidade Social Corporativa?

Os nossos desafios são comuns aos objetivos do planeta desde que definimos a agenda da RSC, apenas para poder responder aos grandes desafios que o mundo tem e que acreditamos estarem muito bem definidos nos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. A fim de podermos contribuir para cada um deles, levamos a cabo iniciativas ligadas a cada uma das nossas marcas com propósito que nos ajudem a alcançá-lo. Pessoalmente, gosto muito do ODS17, o das parcerias estratégicas, porque acredito que unir esforços conjuntos sob o mesmo objetivo é a coisa mais eficaz que podemos fazer para atingir o sucesso do objetivo em questão. Em qualquer caso, a nível da empresa, consideramos que os 2 grandes desafios são as alterações climáticas e a desigualdade do planeta, que se acentuou após a atual pandemia.

Um dos vossos objetivos é tornarem-se a empresa mais sustentável do mundo. Como enfrentar este desafio a um nível pessoal? É realizável ou uma utopia?

Acreditamos que é exequível quando a sustentabilidade é totalmente integrada na agenda empresarial, pensamos que não há outra forma de o fazer.

Para produtos de cuidados pessoais, fomos considerados um líder no Índice de Sustentabilidade S&P Dow Jones, obtendo 90 dos 100 pontos em 27 dos critérios ambientais, sociais e de governação. Este índice é uma ferramenta chave para os investidores que reconhecem que as práticas empresariais responsáveis são fundamentais para gerar valor a longo prazo para os acionistas.

As pessoas são a chave para ser a empresa mais sustentável do mundo, especialmente para uma empresa de produtos de grande consumo como a Unilever, onde estamos presentes todos os dias em 2 mil milhões de lares a nível mundial. O nosso objetivo é criar uma consciência sustentável nos nossos funcionários, consumidores, clientes e sociedade para alcançar este movimento sustentável que ajudará a criar um futuro melhor para tod@s.

Como pode uma empresa contribuir para um mundo melhor?

Compreender os grandes desafios que o mundo enfrenta e tomar medidas, não só dizer o que se quer fazer, mas também fazer. Estamos num momento em que começamos a fazer, já há algum tempo que dizemos o que vamos fazer. Cada ação deve ter um objetivo claro e um indicador de medição para mostrar como está a evoluir. Através do nosso Plano de Vida Sustentável da Unilever que criámos em 2010, comprometamo-nos a alcançar 3 grandes objetivos: ajudar a melhorar a vida de mil milhões de pessoas em saúde e bem-estar, reduzir para metade o impacto ambiental dos nossos produtos e tornar sustentável 100% das nossas matérias-primas provenientes da agricultura. Após 10 anos de vida, já atingimos 80% dos objetivos que nos propusemos.

É possível ligar sustentabilidade social e crescimento empresarial?

O nosso modelo de negócio diz que sim. As marcas com propósito crescem quase duas vezes mais depressa do que aquelas sem propósito e já contribuem quase 70% para o crescimento do negócio. Além disso, permite-nos obter grandes economias de custos e ser considerada a marca número um dos empregadores na grande maioria dos países onde a Unilever opera.

Está com a Unilever há quase 20 anos. As expectativas que tinha no primeiro dia foram cumpridas?

Mais do que cumpridas, eu diria ultrapassadas. Sou licenciada em ciências químicas. Comecei a trabalhar no departamento de investigação e desenvolvimento e tenho tido um percurso profissional do qual me orgulho muito porque continuo a aprender todos os dias e isso levou-me, após 12 anos de adesão à Unilever, a liderar o departamento de comunicação corporativa e sustentabilidade em 2006, onde tenho a sorte de poder fazer e viver o propósito da minha vida todos os dias: a paixão de construir diariamente um futuro melhor; e o mais importante, sempre rodeado por uma grande equipa de pessoas e excelentes profissionais.

Que conselho daria a si própria nesse primeiro dia, se pudesse viajar no tempo?

Manter a humildade, humor e honestidade com que comecei esse dia. Honestamente, eu não mudaria nada, apenas seria eu mesma e continuaria a oferecer a minha melhor versão todos os dias como se fosse o meu primeiro dia na empresa, o que faço após quase 27 anos a trabalhar nesta grande empresa. Adoro sentir todos os dias que ainda tenho sangue azul, e não exatamente porque sou uma princesa, mas porque sinto a cor azul da Unilever.

Uma pergunta que nunca lhe foi feita, mas que adoraria ser feita, sobre as pessoas.

Tive a sorte de estar rodeado de pessoas maravilhosas que nunca deixaram de me surpreender no ambiente profissional e pessoal, após meio século de vida, não sinto falta de nada, a sério; embora esteja sempre prona a ser surpreendida.

 

Sê tu mesm@

  • O que queria ser quando era pequeno? Um clássico da época: professora. Achei que era uma ótima maneira de estar sempre rodeada de pessoas e partilhar conhecimentos.
  • Qual é o seu livro preferido? Há vários, mas um dos que mais gostei e que, de facto, acabei por dar de presente em nome da empresa a todos os funcionários um ano em Sant Jordi, foi Cometas en el cielo (O Menino de Cabul), de um escritor de origem afegã: Khaled Hosseini.
  • Que série de televisão segue? Atualmente, Pátria na HBO.
  • Que filme recomendaria? Gosto muito das comédias francesas. Intocável já tem oito anos, é duro, mas ao mesmo tempo terno, porque relativiza a dor e tem grandes toques de humor.
  • Qual é a sua maior paixão? Passar tempo com a minha família e amigos junto ao mar, a passear, falar, ler…
  • E a sua maior virtude? Não deveria ser eu a dizê-lo, mas penso que a humildade.
  • Para umas férias, prefere praia ou montanha? Mar, sempre. Preciso dele, carrega-me de energia positiva e dá luz colorida à minha vida.
  • O que lhe falta aprender? Milhões de coisas, desde que eu esteja disposta a aprender todos os dias, significa que ainda estou viva.
  • O que mais valoriza no seu dia-a-dia é… Tempo de jantar com a família em dias de trabalho, contando uns aos outros sobre o dia e tomando conta uns dos outros para terminar o dia.
  • Uma frase que o defina. Amor com amor se paga.
  • Qual é o seu prato gastronómico favorito? Uma boa omelete de batata com cebola.
  • De manhã, não é você mesmo até que… Lluis, o meu marido, me dê o seu primeiro beijo e abraço do dia. Tenta fazê-lo cedo para que possa enfrentar bem o dia.
  • Se tivesse que pôr música, seria uma canção de… Depende do momento. Há pouco estava a ouvir “Si tú no estás aquí” de Rosana. Podem roubar-me o coração com qualquer canção romântica, que eu gosto de ouvir em qualquer altura. Algumas mais são: “A te” de Jovanotti, “Quem Me Dera” de Mariza, “She” de Elvis Costello, “No se tú” de Luis Miguel… Embora as que mais repito sejam “You are always on my mind” de Elvis Presley e “My way” de Frank Sinatra.
  • Uma cidade que, para si, é cativante. Positano, na Costa de Amalfi, em Itália.

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Sobre nós

People first

People first é um espaço de inspiração onde partilhamos conteúdos com um eixo comum: as pessoas. De diferentes perspetivas e setores, abordamos diferentes temas, tendências e notícias de interesse humano.


People first

Newsletter

Inspire-se com a newsletter People first.

Quero subscrever a newsletter

Siga-nos

×